quarta-feira, 27 de abril de 2011


As "crises do capitalismo" segundo Karl Marx




Quando da crise financeira de 2008-9 no EUA e sua influência em alguns outros países os marxistas ficaram eufóricos, tanto pela eterna esperança de que tal crise levasse ao fim do capitalismo, como também ao alardearem a "sabedoria" de Marx na previsão de "crises" no capitalismo.
Mas, estas aspirações são apenas mais uma tolice de marxistas que nada entendem da realidade econômica, e nem mesmo entendem de marxismo.

A crise financeira de 2008-9 não é nenhuma das duas "crises do capitalismo" que Marx previu.
As crises econômicas nunca tem a mesma causa como Marx supunha, se tivessem seria fácil prevê-las e evita-las
!

A maioria dos marxistas brasileiros, e provavelmente de todo o mundo, não sabem o que é "crise do capitalismo" segundo Marx !
A maioria dos marxistas confundem crises financeiras com a tão sonhada "crise do capitalismo" que Marx disse que um dia viria.

Marx em seus escritos previu apenas duas "crises do capitalismo".

1 - A crise final, onde aconteceria a revolução do proletariado e o capitalismo seria substituído pela ditadura do proletariado.
2 - As crises de superprodução, que seriam cíclicas.


Vamos comentar sobre a primeira "crise".


Marx escreveu na “Ideologia Alemã”:

“Esta «alienação» - para que a nossa posição seja compreensível para os filósofos - só pode ser abolida mediante duas condições práticas.
Para que ela se transforme num poder «insuportável», quer dizer, num poder contra o qual se faça uma revolução, é necessário que tenha dado origem a uma massa de homens totalmente «privada de propriedade», que se encontre simultaneamente em contradição com um pequeno mundo de riqueza e de cultura com existência real;
ambas as coisas pressupõem um grande aumento da força produtiva, isto é, um estágio elevado de desenvolvimento."


Esse texto é o cerne do marxismo.
Esse texto é o "apocalipse' do capitalismo segundo Marx.

Na visão marxista da sociedade "burguesa" esta iria gerar quando existisse "um estágio elevado de desenvolvimento", uma "massa de humanos desprovidos de propriedade" (proletários), em contradição, com um "pequeno mundo de riqueza e cultura" (burguesia).
Esse "poder insuportável" levaria a revolução do proletariado e a tomada do poder pelos proletários e a substituição do capitalismo pelo socialismo/ditadura do proletariado.

Como sabemos, essa previsão macabra de Marx jamais aconteceu.
As nações desenvolvidas de quem Marx falava, não produziram a "massa de miseráveis" que ele esperava, produziram povos com excelente qualidade de vida.
Essa previsão errônea de Marx joga toda a sua teoria no lixo da história, pois tudo que ele previu que iria acontecer nas nações com capitalismo avançado - não aconteceu.


Vamos agora comentar a segunda "crise".

Marx deduziu, erroneamente, que o processo competitivo de um mercado capitalista levaria a uma concentração da propriedade do capital cada vez em menos mãos.
Marx fez esta afirmação com base no pressuposto de que uma economia competitiva deve conduzir inevitavelmente à eliminação continua dos competidores, tem de existir vencedores e perdedores !
Esta foi a irracional conclusão marxista para a economia liberal
.

Com isso Marx supôs que as corporações capitalistas se concentrariam e o número de indivíduos que deteriam meios de produção diminuiria.
Para a anômala cabeça de Marx, a economia de uma nação capitalista seria como um torneio de pôquer onde os jogadores vão sendo eliminados, apenas um fica com os milhões do prêmio !

Essa seria para Marx contradição estrutural inerente na dinâmica econômica do capitalismo!
Embora o capitalismo gerasse muitas mercadorias a sua estrutura de classe estaria restrita na capacidade de consumir de uma pequena minoria rica da população !

Ou seja, a produção em larga escala de mercadorias seria incompatível com a concentração das riquezas em poucas mãos!
Como consequência o sistema entraria em crises cíclicas de superprodução, gerando anarquia em todo o sistema de produção capitalista.

Notamos ai que a segunda "contradição" é devido a primeira.
Não existiriam consumidores para toda a produção porque a primeira contradição geraria uma minoria rica e uma massa enorme de miseráveis.

Mas, qual foi a razão para que Marx supusesse a sua maligna previsão de que o capitalismo iria gerar uma imensa massa de proletários miseráveis ?
Vamos dar uma olhada no que ele diz no seu ensaio de 1849 "Trabalho Assalariado e Capital".

"Ora, quais são os custos de produção da força de trabalho?
São os custos que são exigidos para manter o operário como operário e para fazer dele um operário.
Por isso, quanto menos tempo de formação um trabalho exige, menores serão os custos de produção do operário, mais baixo será o preço do seu trabalho, o seu salário.
Nos ramos da indústria em que quase não se exige tempo de aprendizagem e a mera existência física do operário basta, os custos exigidos para a produção reduzem-se quase só às mercadorias exigidas para o manter o trabalhador vivo em condições de trabalhar.
O preço do seu trabalho será portanto determinado pelo preço dos meios de existência necessários
."


Esse texto é diabólico... foi produzido por uma mente doente com profundo ódio da sociedade.
Essa condição cruel seria pior do que a escravidão que acabara de ser abolida no mundo pela democracia liberal!
Os trabalhadores, segundo a torpe mente de Marx, seriam mantidos pelos capitalistas como se fossem andróides fabricados exclusivamente para trabalhar.

Marx continua:

"Ora, qual é a lei geral que determina a queda e a subida do salário e do lucro na sua relação recíproca?
Estão na razão inversa um do outro.
A quota-parte do capital, o lucro, sobe na mesma proporção em que a quota-parte do trabalho, a jorna, desce, e inversamente.
O lucro sobe na medida em que o salário desce, e desce na medida em que o salário sobe."
.
..

"Um rápido aumento do capital é igual a um rápido aumento do lucro.
O lucro só pode aumentar rapidamente se o preço do trabalho, se o salário relativo diminuir com a mesma rapidez."


Segundo essa mente perturbada, um empresário só vai ter lucro se chupar o sangue do empregado !
Para Marx o empregado seria a única fonte de lucro do empresário, e consequentemente, para aumentar seus lucros o "vampiro" capitalista teria que cada vez mais criar multidões de seres humanos trabalhando apenas em troca dos meios de subsistência !

Evidentemente, o lucro do empresário não é proveniente dessa estúpida concepção marxista, o lucro dos empresários está na quantidade de mercadorias que ele vende, quanto mais peças de uma determinada mercadoria forem vendidas, mais lucro o empresário vai ter.
Um empresário pode ter 1000 empregados trabalhando para ele apenas pela sobrevivência, mas, se o empresário não conseguir vender o produto fabricado ele não terá lucro !

O lucro de um empresário depende fundamentalmente da sua competência para criar novos produtos que venham a ter grande aceitação pelo mercado consumidor, como por exemplo o adoçante, o ziper, a moto, o jeans, o Windows, o celular, etc, mercadorias que deram a seus criativos produtores grandes lucros.
A mente doente de Marx jamais imaginou tais acontecimentos, que são óbvios para qualquer mente normal.


Vamos ver um pouco mais da loucura marxista:

"Vemos assim que: se o capital cresce rapidamente, incomparavelmente mais depressa cresce a concorrência entre os operários, isto é, tanto mais diminuem, proporcionalmente, os meios de ocupação, os meios de subsistência, para a classe operária"

Então, segundo Marx, quanto maior o capital menor os meios de subsistência dos trabalhadores...
Para Marx, os empresários são seres estúpidos que produzem milhares de mercadorias e ao mesmo tempo - reduzem os que deveriam comprar tais mercadorias a miseráveis que nada possuem !
Marx, em sua loucura não conseguiu perceber que isso não faz o menor sentido !
Isso seria burrice !

As "crises" surgem, segundo Marx, porque o capitalismo gera uma massa enorme de despossuídos trabalhando apenas pela sobrevivência, e ao mesmo tempo, fabrica enorme quantidade de mercadorias, como os trabalhadores tem cada vez menos condições de subsistência e não podem comprar as mercadorias, o mercado capitalista entra em crise de superprodução !

A realidade histórica provou que essa teoria é a teoria de um louco.

Diante da excelente qualidade de vida e igualdade social dos trabalhadores em nações capitalistas como Inglaterra, Alemanha, França, Italia, etc, que eram a quem Marx se referia, apenas dementes iguais a Marx podem continuar a achar que o marxismo é algo que tenha fundamento !


Sobre a crise financeira de 2008-9.

A crise financeira de 2008-9 foi uma crise que teve como origem:
- a inadimplência de mutuários do sistema habitacional norte-americano e a consequente perda de valor das hipotecas imobiliárias;
- a erros e omissões do FED no controle de tais operações.

Marx jamais disse nada sobre tal crise.


Outra coisa que os marxistas inventaram é dizer que os governos, em especial o EUA, ao liberarem créditos aos bancos, ou comprarem parte das ações de um banco, estão sendo “socialistas”, que estão “interferindo na economia”.
Porém, essa compra emergencial de ações de um banco é uma ação de política monetária de um governo responsável, para que os norte-americanos não sofram devido a erros do FED e dos bancos envolvidos.

Interferência do estado na economia para o liberalismo nada tem a ver com isso.
Liberar crédito para a economia não é “interferir na economia” da forma que o socialismo interfere, no socialismo o estado é dono de tudo e não existe propriedade privada dos meios de produção, a liberação de crédito pelo governo norte-americano – para empresas privadas - na crise imobiliária, não tem nenhuma semelhança com a interferência socialista na economia, que é total.


Outro ponto importante para o entendimento desse assunto é que uma crise no setor de hipotecas imobiliárias, como a que aconteceu no EUA, não é uma crise no modo de produção capitalista – o modo de produção baseado na livre concorrência de empresas privadas não teve nenhuma mudança.

Uma crise financeira setorial provocada por erros gerenciais privados e públicos, é consequência da própria imperfeição humana e não do liberalismo (calitalismo) que já em sua concepção as tem como premissas !


Outros textos de Karl Marx sobre o assunto:

Trecho final do
"Trabalho Assalariado e Capital"
Karl Marx, 1849.

"E, para além disto, a classe operária recruta-se ainda das camadas superiores da sociedade; afunda-se nela uma massa de pequenos industriais e rentiers que não têm nada de mais urgente a fazer do que erguer os braços a par dos braços dos operários. Deste modo, a floresta dos braços levantados ao ar e a pedir trabalho torna-se cada vez mais densa, e os próprios braços tornam-se cada vez mais magros.

Que o pequeno industrial não pode aguentar a luta, na qual uma das primeiras condições é produzir sempre em maior escala, ou seja, ser precisamente um grande industrial e não um pequeno, compreende-se por si.

Que o juro do capital diminui na medida em que aumentam a massa e o número do capital, em que o capital cresce, que por isso o pequeno poupador já não pode viver do seu rendimento, e portanto tem de se lançar sobre a indústria, e portanto ajuda a aumentar as fileiras dos pequenos industriais e, assim, os candidatos ao proletariado, tudo isto não carecerá de mais explicações.
Na medida, finalmente, em que os capitalistas são obrigados pelo movimento atrás retratado a explorar em maior escala meios de produção gigantescos já existentes e a pôr em movimento, para este fim, todas as molas do crédito, nessa mesma medida aumentam os terramotos industriais, nos quais o mundo do comércio só se mantém sacrificando uma parte da riqueza, dos produtos e mesmo das forças de produção aos deuses das profundezas — aumentam, numa palavra, as crises.

Elas tornam-se mais frequentes e mais violentas pelo próprio fato de que na medida em que cresce a massa de produtos, portanto a necessidade de mercados mais extensos, o mercado mundial se contrai cada vez mais, restam para exploração cada vez menos mercados novos, porque todas as crises anteriores sujeitaram ao comércio mundial mercados até então inconquistados ou apenas superficialmente explorados pelo comércio.
O capital, porém, não vive só do trabalho (!).
Senhor a um tempo elegante e bárbaro, arrasta consigo para a cova os cadáveres dos seus escravos, hecatombes inteiras de operários que soçobram nas crises.
Vemos assim que: se o capital cresce rapidamente, incomparavelmente mais depressa cresce a concorrência entre os operários, isto é, tanto mais diminuem, proporcionalmente, os meios de ocupação, os meios de subsistência, para a classe operária, e, não obstante, o rápido crescimento do capital é a condição mais favorável para o trabalho assalariado."


Felizmente essa tétrica previsão de Marx jamais aconteceu!
A economia liberal não levou os operários para a cova, pelo contrário, nas nações industriais os operários se tornaram classe média e atingiram excelentes índices de qualidade de vida e igualdade social.
A realidade histórica refutou Marx.


Quando seria o "futuro" para Marx ?

Quando existiria "um estágio elevado de desenvolvimento" para Marx no quel a revolução pudesse se realizar ?

Ele fez a sua teoria e a escreveu no seu "Ideologia Alemã" na década de 1840, e na década de 1870, quando Marx já residia na Inglaterra a anos, ele afirmou em uma entrevista ao Chicago Tribune, que saiu na edição de 5 de Janeiro de 1879 - que já era possível fazer a revolução "na atual fase histórica".

Vejamos quais foram as palavras de Marx.

P = Pergunta do jornalista.
R = Resposta de Marx.

P - Isso implica o derrube do atual sistema social ?
R - Este sistema de terra e capital nas mãos dos empregadores, por um lado, e a mera força de trabalho nas mãos dos trabalhadores, por outro, é apenas uma fase histórica, que há de dar lugar a uma situação social mais evoluída.
O antagonismo entre as duas classes vai a par com o desenvolvimento dos recursos industriais dos países modernos.
De um ponto de vista socialista já existem meios de revolucionar a atual fase histórica
.

P - Atribuem-lhe também afirmações, segundo as quais nos EUA, na Grã-Bretanha e talvez na França pode acontecer uma reforma do trabalho sem uma revolução sangrenta, mas que terá de haver derramamento de sangue na Alemanha, na Rússia, Itália e na Áustria ?
R - Não é preciso ser socialista para prever uma revolução sangrenta na Rússia, na Alemanha, na Áustria e possivelmente na Itália, se os italianos continuarem a política atual.

Temos ai, pelas próprias palavras de Marx, que em 1879 já existia um "capitalismo desenvolvido" e que existiam condições da revolução acontecer, inclusive na Rússia !
Onde a revolução seria sangrenta !
Como realmente foi, os marxistas russos mataram alguns milhões de russos em nome da revolução marxista.


Texto de Karl Marx em O Capital:

"A enorme capacidade de expansão aos saltos do sistema fabril e sua dependência do mercado mundial produzem necessariamente produção febril e consequente saturação dos mercados, cuja concentração provoca estagnação.
A vida da indústria se transforma numa sequência de períodos de vitalidade média, prosperidade, superprodução, crise e estagnação.
A insegurança e a instabilidade a que a produção mecanizada submete a ocupação e, com isso, a situação de vida dos trabalhadores tornam-se normais com essas oscilações periódicas do ciclo industrial.
Descontados os tempos de prosperidade, impera entre os capitalistas a mais intensa luta em torno de sua participação individual no mercado. Essa participação está em relação direta com a barateza do produto.
Além dessa rivalidade, produzida por esse fato, no uso de maquinaria aperfeiçoada, que substitui a força de trabalho, e de novos métodos de produção, surge toda vez um ponto em que o barateamento da mercadoria é buscado mediante diminuição dos salários abaixo do valor."


O texto a anterior é um dos textos de Marx falando sobre a suposta "crise de superprodução" que aconteceria ciclicamente no capitalismo, vamos fazer alguns comentários sobre esse texto.

É um texto típico de Marx, onde ele apresenta a sua teoria sem entretanto demonstrar cientificamente as razões da sua afirmação.
Nem mesmo a sua "dialética" é apresentada.
Marx vai colocando as suas afirmações, uma atrás da outra, sem que apresente nada que demonstre que elas tem fundamento científico.

Comentando o texto....

A "expansão aos saltos do sistema fabril", como assim, demonstre que o sistema fabril se expande aos saltos?
A "sua dependência do mercado mundial", como assim, demonstre que a expansão depende do mercado mundial?

Ao "sistema fabril", que também não foi definido por Marx as características e o que vem a ser, supomos que sejam as industrias em geral - do mundo todo - porque Marx fala a nível mundial.
Porém, é o mercado interno que acima de tudo faz surgir e crescer o sistema fabril de uma nação, tal crescimento não é "em saltos".
Por exemplo o crescimento da industria no Estado de São Paulo, não cresceu em saltos, cresceu paulatinamente ao longo de 40 anos (1950-1990), até se tornar importante.
O Estado de São Paulo exporta, é uma componente importante, mas SP depende fundamentalmente do mercado interno no Brasil, é nele que SP tem sua base, e não no mercado externo.

O sistema fabril na Inglaterra por exemplo, durante a Revolução Industrial (1750 a 1850), quando foram inventadas as máquinas para a industria, por acaso cresceu "em saltos" ?
- Não, cresceu paulatinamente - dentro da Inglaterra - até se tornar o mais importante do mundo, e ai sim começar a exportar.

"e consequentemente saturação dos mercados, cuja concentração provoca estagnação".

Essa afirmação nos diz que os mercados ficam saturados, mas, como?
Saturados de que forma?
Concentrados de que forma?
Será que Marx está dizendo que as fábricas, por exemplo de sapatos, de camisas, de meias, de calças, de cintas, de geladeiras, de fogões, de TVs, de computadores, de aparelhos de som, de carros, de motos, etc, etc, etc, de tempos em tempos enchem o mercado destas mercadorias de tal forma que as lojas ficam apinhadas dessas mercadorias, não as conseguem vender, e isso vai trazer estagnação?
Mas de onde ele tirou isso?
Quando, onde, isso aconteceu?
Alguém já teve notícia que aconteceu tal coisa em alguma nação?
Acho que ninguém jamais soube disso.
De forma que essa afirmação de Marx não tem nenhuma lógica, não tem nenhum fundamento real, é apenas fruto de uma mente perturbada pelo ódio contra a sociedade e que devido a isso criava esses absurdos.

Continuemos...

"A vida da indústria se transforma numa sequência de períodos de vitalidade média, prosperidade, superprodução, crise e estagnação."

Ele está falando DA INDUSTRIA como um todo.
Não está falando que existem crises setoriais, por exemplo no mercado de sapatos, ou no petróleo ou no alcool, ou nas geladeiras, ele está afirmando que TODO O MERCADO (todas as industrias), porque produzem muito (superprodução), entram em crise e vão a estagnação!

Pergunta-se:
Existem relatos que as industrias em todas as nações do mundo em um determinado momento produziram tanto que isso levou a estagnação mundial?!
- Não, não existe nenhum relato desse absurdo.

Essa ideia marxista é tão estúpida que supõe que os donos das fábricas não analisam o mercado, que vão fabricando mercadorias como doidos sem saber se o mercado vai compra-las!
Essa louca ideia marxista supõe que TODOS OS EMPRESÁRIOS DO MUNDO (ele fala a nível mundial) fabricam freneticamente mercadorias e vão entupindo as lojas com elas, sem fazerem análise de mercado - até que chega uma hora que não cabem mais mercadorias nas lojas e só ai eles param, estagnam...
Jamais se teve notícia que esse absurdo aconteceu.


Existem crises na economia das nações, que refletem na economia mundial, a economia mundial é feita por humanos, e humanos vivem em crise, crise existencial, crise amorosa, crise familiar, crise financeira, humanos também são desonestos e trapaceiam, a natureza nem sempre colabora com os humanos, existem secas, enchentes, terremotos, maremotos, furacões, etc, tudo isso junto colabora para que existam crises econômicas, mas - elas jamais são causadas pela mesma razão!
Se fossem, como Marx supunha sempre causadas pelo mesmo motivo (superprodução), seria muito fácil prevê-las e evita-las!
Os humanos não são burros para ficarem persistindo em um erro conhecido.

As crises econômicas são em geral causadas por crises financeiras provenientes de erros ou fraldes das autoridades do país.
As crises são em geral setoriais, atingem apenas uma parte do mercado, atingem sempre aqueles que já estavam em más condições financeiras.

Tanto na vida dos humanos como em todas as atividades humanas é impossível se viver em continuo progresso.
É muito natural as pessoas e os negócios terem períodos de menor prosperidade, mas isso jamais significou a desgraça que Marx em seu ódio quis criar.

A humanidade, depois da implantação da democracia e da economia liberal em 1800 passou por duas grandes guerras e por uma guerra fria, e conseguiu suplantar e seguir em frente com progresso.

O único sistema que entrou em crise, estagnou e acabou falindo foi o sistema criado por Marx, o socialismo científico, cujo maior exemplo foi a falida URSS socialista!


"A insegurança e a instabilidade a que a produção mecanizada submete a ocupação e"

O marxismo é inimigo mortal do progresso tecnológico, e consequentemente do progresso humano.
Para Marx a automação nas industrias trás instabilidade e insegurança...
Ou seja, para essa mente perturbada os seres humanos ao inventarem as máquinas, as linhas de montagem, que propiciaram que fossem fabricadas muitas mercadorias, e com isso toda a população, e não apenas uma elite rica, tivessem acesso a produtos que melhoram a vida dos humanos, foi um erro!
Isso trás insegurança e instabilidade segundo Marx.
Baseado em que fundamentos científicos ele chegou a essa aberração ele jamais disse, foi apenas a produção de uma mente louca.


"a situação de vida dos trabalhadores tornam-se normais com essas oscilações periódicas do ciclo industrial."

Não, isso não aconteceu.
Os trabalhadores da Inglaterra, e de outros países industriais, progrediram a níveis de qualidade de vida excelentes, a automação industrial trouxe progresso e melhoria de vida para os trabalhadores das nações industriais.


"Descontados os tempos de prosperidade, impera entre os capitalistas a mais intensa luta em torno de sua participação individual no mercado. Essa participação está em relação direta com a barateza do produto."

Não existe "luta" em uma economia liberal.
Existe competição.
E para ser mais competitivo não depende unicamente de ter produtos baratos como supunha Marx, são diversos os fatores, e o principal deles é oferecer um produto que tenha aceitação dos consumidores, não basta ser barato, pode ser barato, mas se o consumidor não gostar, não vende.

É O CONSUMIDOR que define qual empresário vai ter sucesso.
Bill Gates não se tornou um empresário de sucesso porque vendia barato seus produtos, foi O PRODUTO que ele fabricava, o Windows, o Office, que tiveram grande aceitação dos consumidores que o fizeram um empresário bem sucedido.
Marx possuído de seu ódio ideológico jamais conseguiu entender essa lógica do mercado.


'Além dessa rivalidade, produzida por esse fato, no uso de maquinaria aperfeiçoada, que substitui a força de trabalho, e de novos métodos de produção,
"

Não existe "rivalidade", empresários não jogadores de pôquer, empresários competem, e o conteúdo da competição é oferecer um melhor produto ao consumidor.

A maquinaria que substitui o trabalhador ao mesmo tempo cria novas profissões.
A máquina de cortar cana, substituiu o cortador braçal de cana, mas criou outras profissões, como o condutor da máquina, como os projetistas da máquina, como os que montam a máquina, como os que dão manutenção na maquina, e muitos outros novos trabalhos diretos e indiretos.

A telefonista que fazia ligações com pegas nas antigas mesas não existe mais, eu seu lugar surgiram milhares de atendentes de telemarketing, serviços de vendas por telefone, etc.

O progresso tecnológico levou a milhões de seres humanos a terem moveis, carros, celular, computador, mp3, etc, a Internet criou centenas de profissões e milhões de empregos ao redor do mundo.
Tudo isso trouxe enorme melhoria da qualidade de vida para o povo das nações que tiveram progresso tecnológico.
O marxismo odeia esse progresso.
O marxismo quer a regressão, quer a destruição da sociedade liberal.
Marx não entendia nada de economia e muito menos do mercado liberal, Marx agiu apenas movido pelo seu ódio doentio contra a sociedade, e movido por esse ódio criou uma ideologia cuja intenção é destruir a sociedade que ele odiava.


"surge toda vez um ponto em que o barateamento da mercadoria é buscado mediante diminuição dos salários abaixo do valor."

E para terminar a estupidez maior!
Para a estupidez marxista, para um empresário baixar o preço da sua mercadoria ele diminui o salário dos empregados!
Existe maior estupidez que isso?
É impressionante que ainda existam humanos que tenham isso como verdade!

Marx não sabia que para poder diminuir os preços da mercadoria o empresário deve aumentar sua produtividade, produzir mais e melhor com o mesmo número de trabalhadores, e uma das principais ferramentas para conseguir nisso é automação, a linha de produção, a divisão do trabalho, que aumentam a produtividade dos trabalhadores.
Por exemplo um empresário que fabrica meias com máquinas antigas operadas por 3 trabalhadores. cada uma produzindo 100 pares por dia, ele pode aumentar sua produtividade comprando uma máquina mais moderna que faça 200 pares por dia com os mesmos 3 empregados operando, dobra a sua produção e pode diminuir o preço da sua mercadoria, sem necessitar diminuir salário dos trabalhadores.

Marx jamais conseguiu entender essa lógica simples de uma economia liberal, por isso mentiu, falsificou, deturpou e enganou a muitos criando mentiras.
Tais mentiras jamais são aceitas por pessoas lúcidas, porém, na humanidade existem muitos que possuem a mesma mente perturbada de Marx, e tais pessoas apoiam tais mentiras e as tem como verdade.
E eles querem destruir a sociedade democrática e liberal, não tem o que colocar no lugar, mas querem destruir.

É contra essa loucura que as mentes livres devem lutar, sob pena de se não o fizerem de perderem a liberdade e regredirem para a miséria que existia antes do surgimento da democracia e da economia liberal.


***

Comunidade no Orkut

"Marx é inquestionável !?"

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=47930640


***


Outros blogs

http://shameusblogs.blogspot.com/


***


Obrigado pela visita !


***


Palavras chaves:
Karl Heinrich Marx Londres biografia economista filósofo sociólogo escritor jornalista burguês proletário revolucionário historiador socialista comunista alemão Friedrich Engels vida e obra Capital capitalismo Ideologia Alemã Manifesto Comunista Liga dos Comunistas revolução França Paris Prússia Alemanha Bruxelas frases pensamentos teórico mais-valia dialética alienação materialismo histórico trabalho exploração história filosofia sociologia superestrutura econômica ideologia doutrina marxismo.








Free Hit Counter

8 comentários:

  1. Só podes ser um atrasado, epa e desculpa a ofensa, mas dizer que marx era uma mente demente é de uma profunda ignorância, sabes por acaso a aplicação que Marx tem na sociedade actual? o que influenciou? essa tua afirmação ofendeu os milhares de cientistas sociais que defendem a sua importância. quem és tu? referencias bibliográficas onde estão elas? a tua palavra não basta e espero sinceramente que ninguém tome isto por certo porque a tua palavra não vale absolutamente nada, ridículo é como classifico a tua opinião que não passa disso, uma opinião, deves ser uma marioneta do aparelho da direita, e olha ate a direita recorre a Marx...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As minhas afirmações só afetam a cabeças fracas como vc q se deixam submeter a lavagem cerebral na faculdade.
      Um homem q disse "Os proletários ñ tem pátria." é um demente, e os proletários provaram isso na primeira guerra mundial qdo pegaram em armas ñ para se unirem e lutarem contra a burguesia como os marxistas pensavam q fariam, pegaram em armas para lutarem cada um por suas pátrias.

      Um homem q diz que "os comunistas ñ devem apenas apoiar o terrorismo, mas, devem tomar nas próprias mãos os anseios de vingança contra pessoas e instituições odiosas." como Marx disse no seu "Mensagem da Diretoria a Liga dos Comunistas" é um demente, e por causa das idéias desse demente milhares de outros dementes mataram milhões de pessoas inocentes dentro de suas nações marxistas.

      Excluir
  2. O autor sequer consegue disfarçar sua ignorância, reiterando xingamentos esdrúxulos ao filósofo que se propõe a criticar. Não cabe sequer comentar os "argumentos" do blog, pois mesmo uma leitura rápida na obra do filósofo já evidencia o caráter falacioso desta crítica. O texto inteiro não passa de uma grande falácia do espantalho. Devo dizer que dificilmente li tamanha estupidez em minha vida como as declarações que encontrei neste texto.

    ResponderExcluir
  3. Lamentavel esse texto. As previsões de Marx são atuais.

    ResponderExcluir
  4. Lamentavel esse texto. As previsões de Marx são atuais.

    ResponderExcluir
  5. ai cara, ate comecei a ler seu artigo pois estou pesquisando sobre automação dos meios de produção e o consequente colapso do sistema financeiro (automatiza e reduz custo, não gera lucro pois reduz margem para competir mais. Pessoas não compram pois não tem emprego ou ganham menos, logo reduz mais custos para poder vender e assim vai)

    mas os desnecessario comentarios de esculhambação me fizeram parar. Estude mais, Marx é usado dentro do sistema atual, não do jeito q ele esperava logico.

    ResponderExcluir
  6. Autor dessa bagatela so pode ser um amador, um servo do partido, um pobre academicamente que procura a todo custo chegar ao topo da cadeia alimentar do conhecimento pela via irracional. Seja mais proeso, e verbalmente verdadeiro, conhecendo profundamente a verdadeira doutrina que mudou o mundo trazendo uma nova visão desta realidade cupica e desprezível que os burgueses criaram, o mundo todo esta atravessando uma crise capitalista, crise de valores, crises financeira, crise ideológica causados pelo capitalismo e vce com a mente atrasada ao invés de criticar o capitalismo para encontrarmos possíveis soluções para nos livrarmos do caus, perde seu tempo e o nosso com pensamentos superficiais. Creio com toda certeza que nao leste de verdade algum livro de Marx.
    É triste no seculo XXI termos no mundo ainda mentes pré-logicas.

    ResponderExcluir
  7. Iniciei, porém percebi que o objetivo do escrito é negar as teses de Marx. O autor não considera o tempo histórico e nele a propulsão das especificidades do capital naquele contexto. Se hoje há outras formas de crise é porque o movimento e as contrações se alteraram no decurso do tempo. O autor perde ao contradizer e não complementar. Ela cai no egocentrismo, merecendo ser chamado de tolo.

    ResponderExcluir